Checkout RH

Dicas para Operação de Caixa

abril 29, 2021 - 0 comentários

 

Dicas para Operação de Caixa

 

 

Um dos pontos essenciais para passar bem pelas vendas e ter o sucesso esperado está em evitar prejuízos na frente do caixa. Os PDVs são a parte final que o cliente em sua experiência de compra chega dentro da loja, o que para as empresas significa o momento em que as receitas serão registradas. Como a margem trabalhada é muito apertada e as demandas de fim de ano são intensas, reduzir ao máximo os erros consequentemente faz com que a empresa seja competitiva. Afinal de contas, não deixa de ser uma estratégia.

A questão é simples: quanto mais atendimentos ocorrem, ou seja, mais vendas são realizadas no caixa, maior a possibilidade de algum erro acontecer, influenciando nas perdas e lucros do supermercado. Investir no colaborador através de treinamentos é o primeiro e principal caminho para aumentar em ganhos qualitativos, além de outras propostas. Confira algumas dicas:

– Treinamento

 A melhora no atendimento e na produtividade dos caixas começa com um treinamento de qualidade, que realmente faça a diferença nas práticas do operador. Muitas vezes um erro acontece pela falta de conhecimento ou de preparo do colaborador, que acaba não atento a algumas situações. Por esse motivo, o treinamento deve envolver o ensino de conceitos e teorias pertinentes, mas também oportunizar que o operador em treinamento simule situações reais.

           A Checkout está antenada com a realidade e com as práticas mais modernas e oferece ao profissional em seleção para a vaga de operador de caixa a oportunidade de aprender sobre a sua função. Através do curso oferecido, ele poderá compreender claramente as rotinas e ser bem orientado para se sentir seguro e estar cada vez mais atento a má intenção de alguns clientes e a prática do serviço em si.

           O curso também abrange treinamentos específicos para compreender quais são os golpes mais comuns aplicados nos estabelecimentos e o que fazer para evitá-los. Assim, procedimentos simples, como estar atento se todos os itens do carrinho foram passados na esteira. De forma que o profissional ganha em qualidade e a empresa evita perdas financeiras.

– Organização é essencial

  A experiência no varejo mais do que provou que uma loja organizada gera qualidade na experiência de compra do consumidor. E essa não é uma prática a ser aplicada somente nas gôndolas e corredores, mas também no caixa, o que é fundamental para evitar que perdas aconteçam. Não adianta ter câmeras de segurança para monitoramento se o operador do caixa não mantiver o local organizado. O risco de algo passar em meio a sua bagunça é muito grande.

            Uma vez que houver itens bloqueando a visão da câmera, dos seguranças e do próprio operador, as fraudes acontecem. Portanto, para evitar as perdas, os colaboradores devem ser instruídos a zelar pela organização, mantendo as sacolas e os demais itens nos lugares corretos. Além de que os produtos devolvidos ou trocados sejam encaminhados o mais rapidamente de volta às prateleiras ou ao estoque.

– Não renuncie a tecnologia

          Quando os caixas operam com mais rapidez e agilidade a loja vende mais e atrai mais cliente. Portanto, além de evitar os prejuízos ainda atua positivamente para a soma das receitas. Então, junto com o treinamento dos operadores e o trabalho de organização dos caixas é necessário estar receptivo e aderir às tecnologias. Assim, pode-se evitar, por exemplo, as divergências de preços e a lentidão na leitura dos códigos de barras. 

             Os erros aumentam os custos e também o tempo nas operações. A tecnologia é assertiva e necessária para desativas etiquetas e ler o código de barras ao mesmo tempo, por exemplo. O operador ganha em eficiência e a empresa não perde, uma vez que gera maior confiabilidade e menos erros. Existem outras tecnologias que atuam para bloquear atos de fraude, auxiliando o operador, pois implementam etiquetas mais seguras, protetores de policarbonato e cadeados eletrônicos. Tudo para a segurança e prevenção de roubos.

 

– Olhe uma vez e olhe de novo

Conferência não somente no caixa, mas também no inventário. A questão é conferir uma vez e conferir outra, quantas forem necessárias e possíveis. Não somente os operadores devem estar atentos as suas ações, mas também através de auditorias.

            Os operadores estão passíveis de erros, portanto, conferir por meio de auditorias os caixas é uma maneira de evitar que isso aconteça. Então, sem aviso de data ou hora as inspeções devem acontecer, seja para contar o dinheiro ou para organizar os documentos.

            Quando a loja é de grande porte, como um supermercado, a gestão da empresa somente consegue identificar que houve perda de produtos e, consequentemente, financeira quando o estoque é inventariado. A comparação entre os itens presentes no estoque e as vendas é uma oportunidade de entender os erros primários que acontecem ainda nos caixas.

            A frequência dessas duas práticas é fundamental para ter um diagnostico preciso e claro do que está acontecendo. A partir daí poder pensar em medidas para impedir que esses erros continuem ocorrendo. A equipe de apoio aos caixas também trabalha ativamente para dar suporte e auxílio aos operadores durante todo o momento de conclusão da venda.

– Esteja atento a devoluções

Um dos momentos que gera mais perdas no caixa são as devoluções, uma vez diversas fraudes podem ser aplicadas. É importante implementar medidas de segurança complementares. O uso de senhas na hora do registro é uma delas, por exemplo. Não somente o operador tem a posse dela, mas o consumidor também recebe um código para validar a operação.

            Todo trabalho de rotina gera um padrão, e a partir dele é possível definir um perfil para o colaborador. Portanto, qualquer diferença que fuja a esse padrão sobressaí. Na época de festas, as devoluções são ainda mais frequentes, requerendo ainda mais atenção.

Gostou das nossas dicas? Acesse nosso blog e fique por dentro de conteúdos exclusivos do setor.

 

TAGS:
COMPARTILHE